12.2.07

O Amor Não Tira Férias
[ou mulher é bicho esquisito]



A melhor tradução do que é “O Amor Não tira Férias” está em dois momentos vividos no cinema durante o filme.
Momento 1: Jude Law se declara apaixonado para Cameron Diaz. Uma moça atrás de mim diz em tom meloso “ah, eu quero um desses pra mim”. Momento 2: Cameron Diaz resolve voltar para a casa de Kate Winslet (não, não vou explicar muito pra não atrapalhar quem ainda não viu) e encontra Jude Law desabando em lágrimas. Resultado: 4 entre 5 mulheres soltam um “oooooooooooooooooooh” digno de quem encontra um cachorrinho recém-nascido perdido no quintal.
É isso. O Amor Não Tira Férias é um filme mulherzinha. Nos Estados Unidos, chamam de “chick flick”. Não é necessariamente bom, nem necessariamente ruim. É assim, feito para as mulheres casadas ou “comprometidas” olharem para o lado e dizerem “viu, como o amor é lindo, o Jude Law é lindo, a Inglaterra é linda e você é um barrigudo grosso e pobretão”? Ou para as solteirinhas irem para casa e acenderem uma vela pra Santo Antônio (se é que ainda fazem isso) e pedirem um Jude Law, abandonado numa cestinha na porta de casa. E, para quem se dirige, funciona.
Law é Graham (papel que deveria ser de Hugh Grant, o que, na prática, daria na mesma), irmão de Íris (Winslet), que mora numa cidadezinha perto de Londres. Amanda (Diaz), mora em Los Angeles e tem uma produtora de trailers para cinema. Íris é jornalista e tem uma vida simples, digamos assim. Amanda é cheia da grana, e mora numa mansão na Sunset Boulevard. Íris tem um relacionamento fracassado com Jasper, que fica noivo de outra, e Amanda descobre que o marido/namorado tem um caso. Pela internet, as duas trocam de casa: Amanda vai para casa de Íris, e Íris vai para casa de Amanda.
O resto é a fórmula-filme-para-mulher: elas descobrem o quanto eram infelizes, entendem que eram envolvidas com machões safados e sem a menor sensibilidade, descobrem uma nova vida, descobrem novos amigos perfeitos, novos amores perfeitos, em lugares de sonho, e todos acabam felizes e unidos pelos laços da amizade e do amor, na noite de reveillon. Pareci machista? Desculpe, não era a intenção. É que os roteiristas pensam mais ou menos assim, mesmo. Porque é uma fórmula, sabe? E, nessa fórmula, Nancy Meyers, diretora e roteirista, vem se especializando. Competente, segura a barra, sem grandes arroubos criativos. Até porque não era pra tê-los, mesmo, já que a fórmula chick flick, em tese, não permite que eles existam.
Ponto para as referências ao cinema, com trilhas citadas e a ponta, na verdade uma micro-ponta, de Dustin Hoffmann. Ah, tem ainda o Jack Black, que nunca conseguiu me agradar, e continuou sem me agradar, apesar de seu personagem ter se dado muito bem no final.
Então, ficamos assim: a mensagem que fica quando O Amor Não Tira Férias acaba é que você, mulher moderna, linda, profissional talentosa e descolada, pode ser moderna, descolada, linda como Kate Winslet ou Cameronz Diaz, brilhante em sua profissão e rica. Mas tudo o que você quer, mesmo, é um príncipe encantado, um homem pra chamar de seu, que preencha sua vida com muito amor, carinho e compreensão, e que é impossível ser feliz sem que um desses passe o braço musculoso, pero sensível, pelas suas costas, no meio da madrugada.

Ficha Técnica
Título Original: The Holiday
Gênero: Comédia Romântica
Tempo de Duração: 138 minutos
Ano de Lançamento (EUA): 2006
Site Oficial: www.sonypictures.com/movies/theholiday
Estúdio: Columbia Pictures Corporation / Universal Pictures / Waverly Films / Relativity Media
Distribuição: Sony Pictures Entertainment / Columbia Pictures / Universal Studios Inc. / UIP
Direção: Nancy Meyers
Roteiro: Nancy Meyers
Produção: Bruce A. Block e Nancy Meyers
Música: Hans Zimmer
Fotografia: Dean Cundey
Desenho de Produção: Jon Hutman
Direção de Arte: Dan Webster
Figurino: Marlene Stewart
Edição: Joe Hutshing
Efeitos Especiais: Snow Business International / Furious FX

Elenco

Cameron Diaz (Amanda Woods)
Kate Winslet (Iris Simpkins)
Jude Law (Graham)
Jack Black (Miles)
Eli Wallach (Arthur Abbott)
Edward Burns (Ethan)
Rufus Sewell (Jasper)
Miffy Englefield (Sophie)
Emma Pritchard (Olivia)
Sarah Parish (Hannah)
Shannyn Sossamon (Maggie)
Bill Macy (Ernie)
Shelley Berman (Norman)
Kathryn Hahn (Bristol)
John Krasinski (Ben)
Hope Riley (Sarah Smith-Alcott)
Gilbert Esquivel (Jesus)
Dustin Hoffman
Lindsay Lohan
James Franco

6 comments:

Ceci said...

realmente... eu achei machista!!

[:p]

gustavo said...

assino embaixo !
E entre as duas beldades, prefiro a Winslet !!!!

Mauro Cesar Costa said...
This comment has been removed by the author.
Rainha de Copas said...

Hahahahaha O que eu não sabia era que você, andrá, tinha mauininhas de ler mentes... Afinal, leu a minha.

Mauro Cesar Costa said...

Barrigudo? só um pouquino, Grosso? jamais, isso nunca.
O problema é esse tal Jude Law.

Patricia said...

Ai eu tb quis o Jude Law ele é fofo rsrsr
Todos querem um grande amor se tiver a cara do Jude com certeza melhora